domingo, 14 de junho de 2009

ruínas

ruínas do casarão..
da antiga...
estação do valongo...
ao lado do porto...
santos - sp - brasil
Escute os loucos,
talvez eles saibam mais:
"As flores não falam,
só exalam,
os amores não voltam,
já não há mais poesia,
só palavras soltas...
Um bom poeta
não fala do amor,
diz ser ruína, arcaico
ou insanidade.
O poeta do amor
padece na utopia,
não sabe amar,
só nas palavras,
é melancólico...
"Disseram-me os loucos!
Não sou poeta,
rosas não falam,
ruínas também...
concordo com os loucos,
porém, falo do amor,
insano talvez,
infeliz não,
ruína jamais...
(texto&fotos por tossan)
*
blogs convidados desta edição
http://amigosnablogosfera.blogspot.com/
http://nat.innatura.blogspot.com/

147 comentários:

  1. "Ruína"____Belo poema...viu.

    Abraços e um bom de semana.

    ResponderExcluir
  2. geralmente, em obras que acabam chamamos destroços
    se a gente reparar bem, existe sempre esplendor nas ruinas. Toda e qq ruina abriga um antigo esplendor.
    Não mostres a tua ruina. Mostres o teu esplendor, que é aquilo que vc sabe fazer de melhor
    abraço de um amigo sincero
    leo mandoki, jr.

    ResponderExcluir
  3. *****

    Desconfio que está apaixonado... risos

    Um mimo para esta noite:

    O AMOR

    É difícil para os indecisos.
    É assustador para os medrosos.
    Avassalador para os apaixonados!
    Mas, os vencedores no amor
    são os fortes.
    Os que sabem o que querem
    e querem o que têm!
    Sonhar um sonho a dois,
    e nunca desistir da busca de ser feliz,
    é para poucos!!!

    © Cecília Meireles

    Tenha uma linda noite! Doces sonhos!
    Beijos

    Helô

    *****

    ResponderExcluir
  4. Meu caro de tão longa longevidade,
    A minha é um pouco menor

    Belíssimo poema o que hoje postou, e a foto enriquece bastante o que deseja transmitir.

    A foto do homem avestruz... é um aborígene Australiano... é um ritual...

    Cada roca com seu fuso, cada terra com seu uso.

    O jardim serve mesmo para isso, descarga da bilis... eu por lá já deixei muita também. Daí as Urtigas kkkk

    Abraço

    ResponderExcluir
  5. Lindo... puro, verdadeiro e intenso... como tuas fotos... adorei!

    Bejosssss

    ResponderExcluir
  6. desculpe se entrei em tua casa sem pedir licença...
    é que, olhei de relance, a porta entreaberta, e flagrei a poesia inteira de um instante guardada em uma imagem... simplesmente não resisti! foi mais forte que quaisquer bons modos e pedidos de licença... entrei!
    entrei sim e, confesso: estou até agora, imensamente encantada com o que vi...

    beijos na alma
    com sabor de "fotografia guardada em meio a papéis antigos e amores sonhados"

    ResponderExcluir
  7. Fato é que ando meio perdida, mesmo.
    Disfarçando como posso, minhas ruínas...

    E comecei vindo aqui pelas fotografias. Agora além delas me atrai a poesia.

    Beijos mil, Tossan!!!

    ResponderExcluir
  8. Ah!!!!

    Adoro fotos de ruínas. As fotos....

    Elas me encantam. Principalmente quando tem paredes antigas, grossas,forte.

    Ruínas me lembram passado. Onde tinham vidas, heróis do povo, vidas vividas com prazeres, outras sofridas. Mas vidas.

    Me lembrou uma fotos que tenho, depois vou colocar no outro blog.

    Abraços e tenha um bom dia.

    O barquinho que dá idéia de estar indo, seguindo, há dias se soltou, e permanece enfeitando esse belo local.

    ResponderExcluir
  9. Escadas, Tossan, meu caro, têm o dom de aparvalhar-me. A escada de Jacob, por exemplo, que sai da casa de Rebeca e Isaque após a celeuma com Esaú, e vai à busca das terras de Padã-Arã...
    Ele sobe todos os degraus, em sonho; no alto, encontra-se com "Jeová" (metafórico? não sei), e Este lhe diz: vai e constrói o teu reino. Então ele, simbolicamente, desce as escadas e trabalha. Um dia conhece Raquel, por quem se apaixona; entretanto, antes de tê-la, é obrigado a casar-se com Lia e amancebar-se com Zilpa e Bila. Difícil trajetória, até chegar ao ser que efetivamente amava. Labão: um reles forjador de situações, ou nêmesis da vida de um Jacob em construção?
    Adoro suas postagens.
    Abraços fortes do João

    ResponderExcluir
  10. Nas ruinas sempre encontramos algo até mesmo inspirações para novos poemas e por que não?

    Fim de semana com muita luz para vc.

    Bom dia.

    beijooo.

    ResponderExcluir
  11. Olá querido Amigo Fernando, as fotos estão belíssimas... Como sem palavras se faz um esplendoroso poema... Beijinhos de carinho e ternura!
    Bom Sábado... Beijinhos de carinho e ternura, tua Amiga,
    Fernandinha

    ResponderExcluir
  12. Caramba, não é que isso também dá poesia? Ruínas são parte do nosso passado, paredes que sobrevivem a incendios e permancem lá para contar história de tempos distantes e muitas vezes esquecidos....

    Abraços

    PS.
    Eles vão restaurar e montar o museu do pelé nesse casarão, nao é?

    ResponderExcluir
  13. Meu coração esta assim...em ruínas!
    Mais vai ter que melhorar.Na marra,que seja!
    Mais tarde vai ter um post quentinho por lá.
    Bjo

    ResponderExcluir
  14. Meu genial poeta das imagens Tossan, para mim a história aproxima o homem do seu presente e o faz projetar o futuro, não pode ser esquecida.Parabéns. Paz e harmonia.

    Ps: Ainda não consegui colar o seu selo, meu blog está travado.

    Forte abraço

    CAUROSA - caurosa.wordpress.com

    ResponderExcluir
  15. ...merece um prêmio.
    como não tem prêmio,
    deixo muahssss nesta
    alma preciosa...

    ResponderExcluir
  16. Belas as fotos...poéticas...
    Quando o homem para de interferir, a natureza começa a tomar de volta o que lhe foi tirado, transformando tudo...criando uma coisa nova...e bela...
    Gde abraço!!

    ResponderExcluir
  17. Ruínas lindíssimas, Tossan.
    Fiz postagem hj, domingo, sobre um filme bem atual e gostaria que você fosse ao meu Blog e me desse a sua opinião.
    Um abraço,
    Renata

    ResponderExcluir
  18. Oi Tossan,

    Cadê aquele poema que estava aí nessa postagem???????Cheguei a lê-lo, só não tive tempo de comentar estava de passagem.... mas tinha adorado!!!
    As fotos são lindas também! sempre muito bem tiradas.

    bjinhos

    ResponderExcluir
  19. Lindos poemas visuais... além de através da escrita, és um poeta das imagens.
    Lindas fotos.
    Abração

    ResponderExcluir
  20. Oi, Tossan!

    Sinta-se livre para chegar e falar o que e quando quiser. Você é muito bem-vindo.

    Lindas fotos. Instigam-me a saber que tipo de gente construiu, habitou e como deixou o lugar. Enfim, a história que foi construída ali. Pesquisei um pouco e pelo visto terá um destino nobre, será o Museu Pelé. Já começaram as obras de recuperação?

    Obrigado pela oportunidade de conhecer um pouco da história de Santos, nossa, portanto, e por meio de suas lentes.

    Um abraço!!!

    ResponderExcluir
  21. obrigada pela visita, seu blog é inspirador, tenho tantas fotos e nunca ou quase nunca as publico, o problema é que a maioria delas é de mim mesma, será que sou narcisista, egoísta, ególatra, aff, vou mudar meu foco.
    amei a estrofe do palhaço e sua foto, tudo aqui é mesmo instigante.

    ResponderExcluir
  22. Que fotos lindas, Tossan!!!!
    Gente, como é incrivel, qd se tira uma foto com a alma, qualquer local fica lindo!!! Essa ruína é perfeita!

    Beijos, moço!

    Um ótimo fds

    ResponderExcluir
  23. Oi Tossan,
    Amei sua visita, e estou amando seu blog. Suas fotos são incríveis, de uma sensibilidade artística, parabéns. Talvéz você ainda não tenha se assumido poeta, mas com certeza o é.

    já tô te linkando pra acompanhar seu trabalho, falou!
    beijos
    simone

    ResponderExcluir
  24. As ruinas deixam-me sempre um sentimento de tristeza.

    Beijinhos verdinhos

    ResponderExcluir
  25. Lindas, as quatro. Mas a segunda me fez ficar um bom tempo a admirá-la!
    Parabéns! Bjs

    ResponderExcluir
  26. Tossan....
    A Humanidade,deixou aos mais poéticos,e raros tesouros!...Majestosas construções em ruinas....
    É uma pena que nem todos tenham a mesma visão dos poetas e sonhadores... se assim fossem as ruinas seriam colocadas em redomas e jamais desapareceriam,para deleite de quem as admira e respeita,e veêm nelas a vida transbordante de beleza e um quê de encantamento....
    Sou completamente apaixonada por construções antigas! Não sei bem o que se passa comigo...sinto uma certa nostalgia prazeirosa, quando as vejo.....me sinto como se pertence-se aquele lugar....rsrsrsrssrsr
    Juro que se tivesse recursos e se pudesse, gostaria de ter uma dessas..... sómente para admirá-las.....e sonhar!
    Obrigada por nos proporcionar ver essas maravilhas...
    Bjs...Dina

    ResponderExcluir
  27. Concordo cm você!Quanto ao comentário....
    Esse nome ICH LÍEBE DÍCH,e a frase universal...a mais bela, mais sublime e mais linda....quando verdadeira..... que uma pessoa pode dizer a outra,quando encontra a sua alma gêmea....o seu amor!
    " EU TE AMO ".....é aqui escrita em alemão.Tirei esse nome da música que é hino dos meus blogs....Se vc quizer escutá-la, vá até um dos meus blogs novos que vc a ouvirá...é muito linda..rsrsrssr.Eu pelo menos sou apaixonada por ela e por sua tradução...que também esta lá junto com música....
    Espero que goste...
    +bjs

    ResponderExcluir
  28. Tossan!

    Sei que são ruínas, mas as fotos são lindas, sobretudo a segunda e a terceira. São lindas! Sabes eu adoro janelas... acho-as poéticas!

    Beijinhos,

    Graça Mello

    ResponderExcluir
  29. Lindas as fotos. Tenho uma forte atração por coisas que não se adequam ao padrão "perfeição", se tiver uma carga de passado, de bagagem, de vida, melhor ainda. É isso, onde alguns vêem morte, tudo que eu vejo é vida. Enfim, suas fotos me levam a devaneios... rs.

    Ah, posso te linkar no meu blog?

    ResponderExcluir
  30. Olá, há sempre algo de instigante em uma imagem de ruinas e muitas perguntas e respontas veêm-me a mente, com a curiosidade de Artista, Professora e de um Ser Humano. Beijos e um bom final de semana.

    ResponderExcluir
  31. Quantas ruínas existem na História da humanidade...ou por descuido,ou por desvalorização....mas as ruínas têm muita história para contar...é como se cada pedacinho,fosse uma peça de uma grande história...achei as imagens lindas...e as palavras...sempre que venho aqui...saio encantada..Estou esperando as fotos da Grace...pode mandar...Beijão..boa semana!

    ResponderExcluir
  32. Ruína é sinal de uso, mas também sinal de desleixo e falta de cuidado...
    Um coração em ruína será um coração abandonado. E o pior... Não dá para fotografar!!

    ResponderExcluir
  33. Olá...também ando assim..eu tenho uma grande necessidade de escrever..mas estou nesta fase...é um eterno rasgar de folhas...e o pior é que as palavras... elas continuam....são um tanto independentes!Mas você disse bem..faz parte!

    ResponderExcluir
  34. Tossan
    Meu post hoje foi inspirado no seu, de forma automática. Obrigada mais uma vez. Não foi o primeiro e com certeza não será o último.
    Prova que ruínas podem se transformarem em contrução...

    abraços, abraços

    ResponderExcluir
  35. Captaste de forma maravilhosa a beleza do lugar!As tuas fotografias transmitem muita emoção e não só beleza.
    Parabéns Tossan!!!

    ResponderExcluir
  36. Ótima sequência, prezado Tossan. Especialmente a terceira fotografia. Me parece uma janela aos moldes das antigas seteiras medievais.
    A História é insensível, não? No correr dos tempos, pirâmides, palácios ou casarões, serão mais insignificantes que um grão de areia.
    Continuo fã da sua intimidade com as lentes, luzes e sombras.
    Um abraço e um bom Domingo!

    ResponderExcluir
  37. uau! pelos menos a vida não está em ruinas...

    ResponderExcluir
  38. Olá querido Fernando, votos de bom Domingo, beijinhos de carinho e ternura,
    Fernandinha

    ResponderExcluir
  39. Amizade é tudo aquilo que
    demostramos mesmo em silêncio,
    pois os melhores amigos são
    aqueles que até no silêncio
    nos fazem feliz!!!
    Beijos e uma ótima semana

    ResponderExcluir
  40. se a gente não zelar o que temos, acaba ficando assim tbm;
    lindas fotos;
    mil bjuxx!!!

    ResponderExcluir
  41. Excelente sequencia de fotos e agradeço teu comentario.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  42. Fiquei também muito feliz e grata com a sua visita.

    As fotofrafias das ruínas do casarao do valongo sao soberbas.

    Vou por o seu blogue no meu link, pois facilita a visita.

    Saudacoes de Düsseldorf!

    ResponderExcluir
  43. Nos meus passeios através a blogosfera, li por aí que ficaste encantado com uma linda menina de 5 meses.
    Adopta-na e contribuirás para haver menos uma pessoa infeliz e mais várias pessoas felizes na terra !
    Muitos beijinhos verdinhos

    ResponderExcluir
  44. Ruínas com um grande poder de mistério.
    Belas fotos !
    Intensas, como tudo o que
    fotografa.
    Grande semana.

    ResponderExcluir
  45. Voce clicou na época certa porque vamos ficar sem as ruínas, elas serão recuperadas para o Museu Pelé. Quando as obras serão iniciadas só Deus sabe...

    Beijo

    ResponderExcluir
  46. Ruínas,casarões abandonados me fazem pensar em solidão.Q tudo se foi ou se acabou... Então me lembro q alí um dia teve vidas...Muita vida e restaram as ruínas para nos fazer lembrar de um tempo q passou.Belas fotografias.Maravilhosa tua postagem.

    Beijos

    Maria

    ResponderExcluir
  47. Olá meu amigo Tossan.
    Muito linda suas imagens.
    Os castelos e suas ruinas me lembram tristezas e silêncio.
    Mas um belo poema.
    Parabéns.
    Te aguardo em meu cantinho.

    Regina Coeli.

    ResponderExcluir
  48. Adoro ruínas.
    Adoro a história desses lugares.

    até...

    ResponderExcluir
  49. As ruínas contam a história do passado, mas pq deixar assim ao abandono nesta nossa cidade, aquilo q um dia foi esplendor?

    beijos e linda semana prá vc!

    ResponderExcluir
  50. Eu amo suas fotos, sempre lindas!
    Bjocas!

    ResponderExcluir
  51. lindo....é só o que tenho a dizer....

    ResponderExcluir
  52. de blog em blog cheguei às belíssimas fotos - parabéns!!!

    ver o mundo por teus olhos é tão belo quanto o pôr-de-sol!

    líria porto

    ResponderExcluir
  53. BELÍSSIMAS FOTOS!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  54. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  55. Fotos maravilhosas. E atrás, ou sobranceira a todas as ruínas, a luz. Luz que você captou tão bem com o olhar, com suas lentes, com sua alma.
    Versejou com imagens, o que não é de se espantar num poeta assim tão rico, que cria imagens também com palavras.
    Valeu

    ResponderExcluir
  56. Bom poema, ótimo para refletir.


    Um abração tenha uma ótima semana.

    ResponderExcluir
  57. MEU AMADO, QUEM EU QUERO NÃO ME QUER, QUEM ME QUER MANDEI EMBORA...AMAR SOZINHA É DOLORIDO...

    ResponderExcluir
  58. Pa l a v r a s que sempre s o l tas tão B E L A S
    Tb tem o perfume de flor e a loucura do amor…

    Fotos mto bonitas..

    Imenso beijinho

    ResponderExcluir
  59. tiempos pasados....

    que siempre vuelven a nuestro camino

    muy bonitas las fotos
    un abrazo

    ResponderExcluir
  60. Tossan, que maravilha a sua RUína que jamais se fará verdade, e sim felicidade e sucesso, alegria e amor! Você é muito competente. Muito lindo!
    As fotos são o seu olhar... Maravilhoso.

    Bjus CON

    ResponderExcluir
  61. Tossan, querido!

    Vc sempre tão doce camigo...

    São fotos totalmente amadoras, faltou um clic do Tossan, para captar a peleza do jardim...rsrsrs

    Quanto a " Ruina", que fotos, vc consegue fazer maravilhas com a máquina na mão... As fotos são e estão lindas!


    "..insano talvez, infeliz não...

    A poeisa quando chega ao coração, já conquistou o resto...rsrs

    Vc é maravilhoso!


    Beijos avassaladores!

    ResponderExcluir
  62. Como sempre um bom olhar, uma sensibilidade aguda e um poema extraordinário.
    Abraço perfumado

    ResponderExcluir
  63. nossa que coisa mais linda...casamento harmonico de imagem e texto...senti-me viajar...meus parabéns...abraços

    ResponderExcluir
  64. Até em ruínas há beleza, basta o olhar, o ângulo que focalizamos os destroços.

    O 'seu olhar' é precioso...bjo e boa semana!

    ResponderExcluir
  65. Ruínas,
    achei muito criativo, conheço o lugar e vc conseguiu tirar beleza de um local tottalmente destuído, parabéns,
    abçs netunianos

    ResponderExcluir
  66. Neste caso tbm nao sou poeta, pq meu amor nunca está em ruinas....

    Abraços

    ResponderExcluir
  67. Tossan,

    "bate outra vez..."
    esse coração triste e cansado ainda bate,

    quase parando...
    teima em bater...

    Fotos lindas...
    mas lindas pelo seu olhar,
    a nos mostrar o tamanho de sua sensibilidade em retirar das ruínas algum senso de beleza
    . boa semana, querido!

    ResponderExcluir
  68. Há contornos em formas humanas que a minha percepção alcança no conjunto de tua fotografia. São formas, gestalts, esboços de corpos nos espaços vazios...
    .
    Teu poema fala de um tempo vivido, de uma saudade, uma desilusão, o ruir de esperanças e sentimentos.
    Poetas poemam na dor e na alegria. A arte fotográfica transforma ruínas em Obras e as imortaliza, pausando o tempo de modo que não mais ruirão.
    .
    A nostalgia advém do sentimento de perda e se guardamos algo de bom, não se perde o todo.
    Talvez na bonança amores tenham ficado por ali... Ou quem sabe amantes perderam-se em amores, também, por ali....
    Rosas não falam, ruinas também.
    Mas as lembranças de tudo que se viveu, talvez ainda esteja de pé. As boas lembranças não desmoronam ou falam, elas calam bem fundo e marcam, para sempre a presença. E permanecem intactas, sem ruir, assim como os contornos dos corpos humanos que vejo.

    Beijos, querido.
    Fica bem.

    ResponderExcluir
  69. RUBÉN DARIO (1867-1916)

    AMO, AMAS

    Amar, amar, amar, amar sempre, com todo o ser, a terra, o azul resplandecente,
    com o claro do sol, com o escuro do lodo;
    Amar com consciência e com desejo ardente.

    E quando a tal montanha desta vida
    nos for dura, alta, vasta e cheia de acidentes,
    amar a imensidão pelo amor acendida
    e queimar na fusão dos corações ferventes.
    Tradução minha

    O amor sempre inspirou poetas e poetisas e os poemas de amor jamais deixarão de ser feitos. Como dizem as suas palavras, Tossan, jamais serão ruínas. É preciso amar, sempre foi preciso amar, qualquer tipo de amor. Amar e tentar desfrutar de momentos felizes, duas coisas imprescindíveis ao ser humano.
    O seu poema é lindo, não é uma ruína. Mas as suas fotos do casarão em ruínas são maravilhosas. Acho que são as fotos suas de que mais gostei. Foi bom ter vindo aqui hoje.
    Obrigada, Poeta.
    Um beijo,
    Renata

    ResponderExcluir
  70. Tossan

    Fotos de ruína continuo adorando. Sua fotos me deixam com gosto de conhecer esses lugares.

    Escreva sempre o amor, do seu jeito, da sua forma de ver e sentir, de sonhar e desejar, de imaginar e realizar. Cante o amor. Pinte o amor. Fotografe o amor. Borde o amor. Seja o amor.


    beijos

    ResponderExcluir
  71. Em ruínas...Justamente assim se encontra o meu coração...Consertar os destroços e seguir em frente é o q tenho feito!
    Teu poema é bem coerente ao momento atual...Vc foi feliz nas fotos e na escrita do poema!!
    ABRAÇO.

    ResponderExcluir
  72. Que pena que dejemos que sitios tan bellos se desmoronen.
    Unas fotos muy buenas y llenas de historia y un texto muy apropiado.
    Besos.

    ResponderExcluir
  73. Como pode ruínas se transformarem em belas fotos, será que é porque o fotografo é bom mesmo rssssss
    Parabéns pelas fotos e poema.
    Abraços Eduardo Poisl

    ResponderExcluir
  74. Olá Tossan,
    Por vezes as ruínas fazem-nos mergulhar na nostalgia do passado, mas também podem fazer nascer dentro de nós uma vontade de começar de novo e reconstruir algo de belo
    beijinhos de Portugal
    ~universosquestionáveis~

    ResponderExcluir
  75. "Carinho é o óleo que lubrifica
    as engrenagens da vida."

    Boa semana
    beijos

    ResponderExcluir
  76. Ruínas, loucura, e poesia,o que vale mesmo, é que no final o poeta disse que amava,mesmo insano, e que as ruínas,bem, as ruínas ele deixou-as de lado, o mais engraçado é que quem convive com tais sentimentos,passa por todas essas fases,parabéns por essa maravilhosa inspiração.

    otima semana pra voce Fernando.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  77. Wow this is so old and lovely...I Really enjoyed this post,,Thanks for sharing the beauty...

    ResponderExcluir
  78. Um areal morno acolheu
    Teus passos ávidos da chegada
    Caminhas na procura das marcas
    De uma espera desencontrada

    Calmaria!
    A bonança reivindicou o Sol no celeste
    Uniram-se os pedaços de rasgada vela
    Tua alma retomou o sonho adiante


    Boa semana

    Abraço

    ResponderExcluir
  79. Amigo Tossan:

    Momentos espectacúlares estas fotos,e neste teu poema...
    Gostei!!!
    Abraço

    Lourenço

    ResponderExcluir
  80. Oi amigo!

    Venha para a terutlia.
    sandra

    ResponderExcluir
  81. As ruínas são memórias de algo que um dia existiu, memórias do que foi belo...

    ResponderExcluir
  82. Pois é, Tossan, é pena que nem todos achem belo o meu sentimento...Espero ter melhores inspirações, resurgir diante ásruínas.
    Obrigada pela visita, Bjos.

    ResponderExcluir
  83. Tossan,

    acho que só vc sentiu o "espírito" da coisa, né?


    Mas é que precisamos reconhecer quando perdemos.


    Por mais doloros que possa ser,
    é preciso se despir de alguns conceitos
    e não inteferir...



    bjs.

    ResponderExcluir
  84. Gostei.
    Incríveis as ruínas fotografas!

    ResponderExcluir
  85. Ah, que me dera um dia
    fazer uma poesia
    ganhar alforria
    da minha agonia
    com total sabedoria
    louca eu seria
    entre ruinas,vazia

    beijo

    ResponderExcluir
  86. as fotos dessas ruínas estão muito interessantes, chega a doer a alma quando constactamos como tudo acaba.
    bjs

    ResponderExcluir
  87. As fotos estão belissimas e o poema maravilhoso. Adorei, parabéns.

    ResponderExcluir
  88. interesantes imagenes, ruinas pero bellas imagenes.
    saludos.

    ResponderExcluir
  89. ....sim meu caro.....

    tbm concordo com os loucos ....

    mas falar de amor em toda sua utopia e insanidade...é tudo de bom^^

    eu adoro aqui,e obrigada pelo londo poema.....amo fernando pessoa....

    bjao^^

    ResponderExcluir
  90. Waw lindíssimas...!

    Impecável (:

    ResponderExcluir
  91. Eu particlarmente sou fascinada por ruínas como essas que fotografou...Elas são encantadoras...misteriosas...autêntica obra da natreza misturada com a mão do homem... São lindas!

    Beijos

    ResponderExcluir
  92. É uma maravilha. Misteriosas. Belissimas fotos. Abraço amigo.

    ResponderExcluir
  93. Hoje me sinto assim,em ruinas..penso no ser humano e ainda acredito que vale a pena,isso me dá forças ainda para acreditar.xôoooooooo dia cinza.
    Beijos Tossan

    ResponderExcluir
  94. Bem amigo Tossan a 1ª, 3ª e última foto estão soberbas, grandes fotos sem dúvida e um texto mto belo... para béns mas as imagens estão... fantásticas :-) enquadramento, cores tudo mto bom.
    Grande abraço,
    Nuno

    ResponderExcluir
  95. Superou todas as minhas expectativas, tanto nas fotos como no poema!

    Beijinhos,
    Ana Martins

    ResponderExcluir
  96. Adorei principalmente o enquadramento a primeira foto! Lindo poema!
    beijinhos e já sabes o porquê da minha ausência.

    ResponderExcluir
  97. Caro amigo... nao esqueci do seu nariz nao, mas é que uma tal mulher de Laranja tirou-o de mim depois do que lhe contei a pouco...

    Mas vamos lá recuperar o tal, maos a obra....rsss

    Abraços

    ResponderExcluir
  98. Lindas fotos! Adoro essas ruínas. Sobre amor, poetas nem sei falar.

    Belo post!

    Abraço

    ResponderExcluir
  99. Poema forte e bonito. Lindas imagens de ruínas.

    ResponderExcluir
  100. Vejam só o meu simples fotoblog com o link aqui na tua belíssima postagem! Adorei as fotos e o poema, não ligue para os loucos, eles são malucos. Fico toda envaidecida e muito orgulhosa. Bejussss

    ResponderExcluir
  101. Unas imágenes impactantes y un lugar especialmente fotogénico. Buen reportaje de este lugar.

    Saludos

    ResponderExcluir
  102. Tossan, sempre passo, embora calado, não tenho tido infelizmente muito tempo para ficar, mas venho e olho pq suas fotos e poemas são uma viagem. Adoraveis.
    Abraços

    ResponderExcluir
  103. Caro amigo,

    Amor jamais será ruína, é certo, desde que seja verdadeiramente amor.

    Porque quando o amor é verdadeiro, por mais que haja abalos e estragos, esse amor tudo restaura e acaba por ficar ainda mais forte...

    Brindemos ao amor e edifiquemos sobre as ruínas, algo maior do que havia antes...

    Belíssimo texto e fotos! Como sempre... :-)

    Um forte abraço,

    Colibri
    --
    Se você suporta emoções fortes, ouça o testemunho de vida deste homem que, no passado, cometeu todo o tipo de crimes e barbaridades e, hoje, é um ungido de Deus, devido à sua extraordinária transformação por Jesus Cristo. Segure-se bem e ouça... Depois não diga que não avisei… :-)

    Testemunho fortísssimo do Ex-Bruxo Tio Chico...

    ResponderExcluir
  104. Gostaria muito sim de poder ter retratado a imagem atraves de uma viagem, ou várias ao exterior, mas como tu bem o sabes não tenho condições.
    Um pouco , ou muito irônico,
    rsrsrsrsrsrsrsr,
    abçs netunianos

    ResponderExcluir
  105. Uma paixão, a inspiração
    que trás o olhar na poesia e a palavra na fotografia...

    beijos meu querido amigo.

    ResponderExcluir
  106. ._________querido Tossan




    as fotos são MAGNIFICAS!!!


    ______________///





    quem nunca amou______não conhecerá as______"ruínas"




    ah! os loucos.os.loucos______que saber os impele___...

    perfeito


    .o teu poema__________[...]










    beijO______ternO

    ResponderExcluir
  107. As nossas ruinas interiores falam!

    ResponderExcluir
  108. Muito lindo o poema... profundo...e tocante...
    As fotos tbm são lindas!! Vontade se subir aquelas escadas!!
    Bjssss

    ResponderExcluir
  109. Andei por lá dia desses..
    nosso patrimonio histórico precisa de mais atenção..
    Belas fotos..poema maravilhoso..
    Abraços meu caro.

    ResponderExcluir
  110. Con la mirada atenta …

    Fotos intensas. Me encanta ver reflejado el paso del tiempo en las casas ruinosas.

    ... saludos

    CR & LMA
    ____________________________

    ResponderExcluir
  111. As ruínas sempre tem,forma tem alma,de alguém que lá habitou,chorou e amou! Estas aqui foram ao encontro das palavras,adorei... as fotos maravilhosas
    Beijinho

    ResponderExcluir
  112. Caro amigo, belas fotografias...belo poema...Espectacular....
    Um abraço

    ResponderExcluir
  113. Las fotos son relamente geniales... dejadez... para que claman cada una de ellas.

    Saludos!

    ResponderExcluir
  114. Tossan , este teu poema me tocou, acho que também os loucos é que são sãos mas em ruínas nunca devemos ficar mesmo sem amor.

    beijinhos

    ResponderExcluir
  115. como as fotos mostram ruinas...o texto enfoca os grandes segredos desconhecidos por nos mesmos..presente..passado e futuro.....

    abraçao tossam

    ResponderExcluir
  116. um poema de neruda para vc...


    boa noite ^^beijo^^

    Tuas mãos

    Quando tuas mãos saem,
    amada, para as minhas,
    o que me trazem voando?
    Por que se detiveram
    em minha boca, súbitas,
    e por que as reconheço
    como se outrora então
    as tivesse tocado,
    como se antes de ser
    houvessem percorrido
    minha fronte e a cintura?

    Sua maciez chegava
    voando por sobre o tempo,
    sobre o mar, sobre o fumo,
    e sobre a primavera,
    e quando colocaste
    tuas mãos em meu peito,
    reconheci essas asas
    de paloma dourada,
    reconheci essa argila
    e a cor suave do trigo.

    A minha vida toda
    eu andei procurando-as.
    Subi muitas escadas,
    cruzei os recifes,
    os trens me transportaram,
    as águas me trouxeram,
    e na pele das uvas
    achei que te tocava.
    De repente a madeira
    me trouxe o teu contacto,
    a amêndoa me anunciava
    suavidades secretas,
    até que as tuas mãos
    envolveram meu peito
    e ali como duas asas
    repousaram da viagem.

    Pablo Neruda

    ResponderExcluir
  117. É, rosas não falam,
    Ruínas tbm não.

    Pedras não falam, mas contam histórias!

    Beijos meus querido.

    Cada foto linda, hein!!!!

    ResponderExcluir
  118. É incrivel a sensibilidade que denotam as tuas fotografias.Fiquei a observar e a pensar quem teria vivido nessa casa outrora majestosa.Ruinas fazem-me sentir nostálgica e triste.
    Um beijo meu querido amigo.

    PS - O meu pc foi para arranjar e deve estar fora mais de uma semana.
    Estou aqui a escrever no pc miniatura do Gonçalo no Magalhães o que te garanto não é tarefa fácil pelo tamanho das teclas.Vale o esforço!;D

    ResponderExcluir
  119. Sabia que trabalhei um ano ministrando oficinas de teatro eliteratura para os "loucos" (psicóticos e esquizofrênicos)? Pois vou te dizer, meu amigo: foi um dos anos mais felizes de minha vida e onde aprendi muito... e descobri que o maior louco de todos lá era eu (rsrs). Sério! Amor insano para mim, passou a ter outras conotações. Adorei o texto e as fotos estão, como sempre, espetaculares.

    ResponderExcluir
  120. Tossan!
    Adorei o lance do banheiro kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Cada um tem suas coisas...seu jeito, suas manias! Normal!

    muitos beijos e as fotos das "ruínas" são simplemsente maravilhosas para serem revistas como fiz mais uma vez... Imperdível, demais!

    Um beijo again, CON

    ResponderExcluir
  121. Que grande olhar, amigo. Essas ruínas viraram vedeta nas suas mãos! Um beijo

    ResponderExcluir
  122. Mais uma postagem completa na sua sensibilidade no olhar e no sentir a vida!

    Porque falo de amor
    Se irracional
    é a ruina
    em que me vejo?
    Mas se nela
    me projecto
    na constância do tempo
    e se de amor
    meu coração é feito
    então também de amor
    é a minha palavra!

    Beijos

    ResponderExcluir
  123. This is fantastic...Great and lovely captures..Great..Unseen Rajasthan

    ResponderExcluir
  124. um dia ainda vou conseguir fazer esse magnífico entrelaçamento que fazes entre a escrita/palavra e a imagem. extraordinário e estimulante. meu abraço amigo.

    ResponderExcluir
  125. Adorei a primeira foto, os poetas falam sem falar, do que sentem sem sentir.
    São precisas as ruínas pois os melhores poemas são mais belos quando a dor está perto.

    Namastê

    ResponderExcluir
  126. Oi Tossan!Casas em ruínas sempre me dão uma tristeza...Quem viveu ali...

    ResponderExcluir
  127. Amor... insano, claro o amor é insano mesmo!...
    As rosas... falam pois!
    As ruinas... às vezes também falam, mas no amor não precisamos que elas digam nada!...
    Depois Tossan, você é o próprio amor..., no que desenha com as letras, com a maquina fotografica, com o olhar sempre no lugar certo!
    Moço bonito, beijo p'ra você.

    ResponderExcluir
  128. BELISIMAS FOTOS DESTE CASARÃO
    E
    ESTE POEMA ESTA MUI BELO AMIGO BELA SEMANA PRA TI!

    ResponderExcluir
  129. Mais uma vez com seu olhar curioso, atento e sensível Tossan vai desvendar mistérios através dos seus klics mágicos. Belíssimas ruínas, abs.

    ResponderExcluir
  130. Tossan querido.....

    Já te disse que vc é imbatível??!!
    Pois saiba que és!

    bjinhos

    ResponderExcluir
  131. E das ruínas se extrai a beleza!
    Muito bom, Tossan.

    ResponderExcluir
  132. As rosas falam sim, as ruínas não sei, mas acho que mostram o passado, não liga para os loucos, eles são criativos e também falam de amor sem perceberem. Gostei viu? Bejussss

    ResponderExcluir
  133. MAGNÍFICO!!!

    As maravilhosas imagens das ruínas que o teu olhar artístico observou e o maravilhoso poema de um poeta que ama tudo o que o rodeia e vê nas ruínas sempre um pormenor belo.
    Admiro quem ama, quem vive no amor, é porque o coração é uma preciosidade com mais valor do que o diamante mais caro do mundo.
    Sem amor nada tem sentido, amas o que escreves, amas o que vês, amas o que sentes e eu sinto que és feliz.

    Sente um beijinho repleto de ternura e amizade,

    Ana Paula

    ResponderExcluir
  134. Todo sentimento precisa de um passado pra existir,a amizade não.
    Ela cria como por encanto um passado que nos cerca,ela nos da a consciência de havermos vivido anos a fios com alguém que a pouco era quase um estranho, ela supre a falta de lembrança como espécie de mágica.

    Bom dia.

    beijooo.

    ResponderExcluir
  135. Meu querido, voltando ao blog, mas começando pela leitura de meus amigos.

    Conmo sempre, fotos maravilhosas e essas...uauuuuuuu
    A primeira foto está qq coisa de linda!
    Louco...que seja louco e que cante e rime e fale e faça do amor seu maior escudo. SEMPRE.

    beijo enorme pra vc

    ResponderExcluir
  136. Continua a falar de amor...
    Continua também a fotografar o amor - as tuas fotografias são para mim o mais belo poema de amor, que jamais vi.
    Já te disse, Tossan, que tenho grande inveja do teu talento?!

    Abraços da tua amiga de Düsseldorf

    PS: Sigo para falar da "chuva"

    ResponderExcluir
  137. Ruínas nos contam coisas ruínas dos outros quando passavam por alí enquanto ainda não eram ruinas...

    Amei as imagens e teu poema, como sempre, né Tossan..

    Abraços!
    Poetíssima...
    www.soirild.blogspot.com

    ResponderExcluir
  138. queria dizer que gosto todas as imagens que tens aqui no teu blog. sao imagens fantasticas e mt belas.
    qualquer uma delas tem um belo contraste e uma boa luz.

    meus parabens por este belo trabalho aqui tens.

    uma grande abraço deste visitante!

    Max Vieira

    ResponderExcluir
  139. Eu vou por uns dias mas acabo sempre voltando, não há como não voltar. Pela amizade, pela beleza, mais pela cumplicidade. Ruínas, como tudo, podem ser encaradas de diferentes formas. Ruínas não me remetem à morte, me remetem à vida, vida que viveu, passado, não que acabou, mas que passou. Mas pode voltar. A ruína está lá, ainda existem resquícios do que existiu. Pode ser reconstruído, pode servir de base pra uma nova contrução. Pode simplesmente ficar lá e permitir que cada um veja o que pode ou quer ver.

    Gosto de vc e gosto daqui. Bjs.

    ResponderExcluir
  140. oi,

    sou a Izinha do blog magicoolhar, vou tirá-lo do ar e estou substituindo pelo "Simples, assim..."

    te espero...
    mil beijos!

    ResponderExcluir
  141. Interessante reler meu próprio comentário há tempos atrás. Interessante. Bjs.

    ResponderExcluir
  142. Olá meu bom amigo Tassan, estas ruínas ficaram abrilhantadas pelo seu trabalho genial. Ruínas são a nossa história e tem que ser preservada de alguma forma. A fotografia as tornará eternas.

    Paz e harmonia em sua vida.

    Forte abraço

    Caurosa

    ResponderExcluir
  143. Perdoar é próprio das almas generosas. Maquiavel
    Um beijo,
    Renata

    ResponderExcluir
  144. Ruinas são lastros, prova de vida como quem diz: "eu existi, fui matéria, peso, coisa que andou por aqui..."
    ruinas é bom, melhor que fantasma...

    ResponderExcluir
  145. Tossan, estive lá em Eduardo. As fotos dele são belíssimas, me deram saudades dos dias que estive em Santa Catarina.

    O seu poema não lembro, estranhei, porque sempre lembro dos seus poemas.

    Muito bonito. É bom sentir um querer assim.

    beijo

    ResponderExcluir
  146. lindas fotos das ruínas, belo texto. gostei do blog!

    ResponderExcluir
  147. Nice coleção de fotos, parece-me a porta,
    http://luisminguez.blogspot.com/search/label/Puertas
    Você tem um blog interessante, eu gosto, eu vou entrar de vez em
    quando para manter olhando o que você faz. Un saludo

    ResponderExcluir

Não costumo comentar pelo Google+, deixe o link do seu blog quando comentar pelo navegador. Obrigado

No suelo comentar sobre el Google+, dejo el enlace a su blog cuando usted comenta en el navegador. Gracias

I do not usually comment on the Google+, leave the link to your blog when you comment on the browser. Thank you

" Posso não concordar com uma única palavra do que dizeis, mas defenderei até o fim o vosso direito de dizê-la" ." (Voltaire)
Antes de mais nada fica estabelecido que ninguém vai tirar meu bom humor. (Fernando Sabino)

"Puedo no estar de acuerdo con una sola palabra de lo que dices, pero defenderé hasta el final su derecho a decirlo". "(Voltaire)
En primer lugar se establece que nadie va a tomar mi buen humor. (Fernando Sabino)

"I may not agree with a single word you say but I will defend to the end your right to say it". "(Voltaire)
First of all it is established that no one will take my good mood. (Fernando Sabino)